Mais

Adubação foliar: como a mecanização pode te ajudar a evitar perdas

A eficiência da adubação foliar depende de vários fatores, sendo um dos principais a utilização correta de maquinários adequados para a realizar a aplicação

Mário Bittencourt Mário Bittencourt
Compartilhar isto
A importância da escolha do maquinário para adubação foliar

A realização do manejo nutricional das plantas é uma tarefa que para ser eficiente depende de vários fatores que vão desde o produto a ser utilizado até a escolha do maquinário ideal. Mas, como nem sempre se consegue fazer com que os nutrientes cheguem até as plantas por meio da raiz, é necessário usar métodos complementares, como a adubação foliar.

Utilizada para suplementar de forma rápida a adubação de solo, a adubação foliar pode ser feita com pulverizadores agrícolas adequados para melhores resultados na aplicação. Saiba neste artigo a importância da adubação foliar e como os maquinários podem te auxiliar a evitar perdas na aplicação.

O que é a adubação foliar?

A adubação foliar é um dos métodos que existem para fazer com que as plantas obtenham a quantidade de nutrientes necessária para se desenvolver e produzir bem. Os outros métodos são a adubação do solo (que é a principal) e a adubação por rega. De qualquer maneira, a adubação foliar será feita para complementar ou para corrigir uma deficiência nutricional.

Na adubação de correção, a adubação foliar visa fornecer nutrientes para as plantas num determinado estágio de desenvolvimento, sobretudo na florada ou crescimento dos frutos, quando a presença de determinados elementos químicos é essencial. Já na adubação foliar complementar, realiza-se uma combinação com outros métodos (via solo ou rega).

Como o próprio nome diz, na adubação foliar a absorção dos nutrientes se dá por meio das folhas, as quais devem ser previamente analisadas para que a aplicação seja feita na dose certa.

Há pelo menos três maneiras de aplicação:

  • com o uso de pulverizadores agrícolas;
  • na irrigação por aspersão ou microaspersão;
  • por meio de pulverização aérea, com aviões agrícolas ou drones;

A utilização de cada maneira de aplicação vai depender da necessidade da lavoura, mas é importante você ter em mente que utilizando tecnologias e técnicas de agricultura de precisão pode fazer uma adubação mais eficiente e com redução de custo.

Eficiência na absorção dos nutrientes pelas folhas

É muito importante que você saiba que a eficiência na absorção dos nutrientes pelas folhas é variável a uma série de fatores do meio em que se encontra a vegetação.

De acordo com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), os principais fatores estão relacionados com:

  • a folha ou a planta (superfície foliar): composição química e permeabilidade da cutícula, idade da folha, estado iônico interno, crescimento e estádio fenológico;
  • os nutrientes: seletividade, absorção desigual de ânions e cátions, antagonismo, inibição competitiva e não competitiva, inibidores metabólicos;
  • as soluções: concentração e composição, pH e forma química dos nutrientes;
  • condições do meio: luz, disponibilidade de água no solo, temperatura, umidade do ar, horário e equipamento/maquinário para aplicação.

Destaca-se ainda que é fundamental ter conhecimento sobre a mobilidade dos elementos na planta e que, necessariamente, esse fator isolado, não é responsável pela velocidade de absorção dos mesmos.

Veja abaixo a tabela:

Tabela de absorção foliar de nutrientes

Tabela mostra tempo de absorção dos nutrientes (Fonte: Embrapa)

Outro detalhe essencial para se saber é que a eficiência da adubação foliar depende também da cultura.

Assim, é preciso avaliar a viabilidade da aplicação, a necessidade nutricional das plantas e o seu estágio de desenvolvimento.

Outro cuidado que se deve ter é com relação ao uso de produtos químicos que auxiliam na retenção dos nutrientes, tais como os umectantes, os molhantes e os protetores.

Uso da quelatização na adubação foliar

Muito utilizada na adubação foliar, a quelatização é a junção de um íon positivo (cátion) com uma molécula orgânica negativa, que funciona como um agente quelatizador.

Essas moléculas servem para inibir a interação de íons metais, os quais podem formar compostos insolúveis que não são disponíveis para as plantas.

Assim, a quelatização serve, principalmente, para facilitar a entrada dos nutrientes na planta, proteger os nutrientes e tornar as formulações mais estáveis na calda.

A quelatização, contudo, deve ser feita sob a orientação de profissionais da área agronômica, até porque nem todos os nutrientes podem passar por este processo.

Uso de máquinas na adubação foliar

Você viu acima que o uso de um bom maquinário faz parte dos fatores que influenciam na eficiência da aplicação da adubação foliar. E hoje, com máquinas cada vez mais avançadas, com tecnologias de ponta, é possível aprimorar os resultados das operações.

O uso de maquinário na adubação foliar favorece à maior uniformidade na aplicação, reduz a deriva e, por consequência, o desperdício de calda. Além disso, garante maior agilidade nas operações, sem a necessidade de muita mão-de-obra.

Uma das máquinas mais eficientes para aplicação foliar é o pulverizador Defensor 2500, disponível para pronta entrega na Agrobill. Veja mais detalhes abaixo.

defensor 2500 new holland agrobill

Defensor 2500

Este maquinário possui ótima distribuição de peso, proporcionado pelo tanque central, e estabilidade garantida em todos os momentos da aplicação. A suspensão ativa proporciona melhor desempenho nas arrancadas e nos aclives.

Um detalhe importante é o sistema de pinça e mola da suspensão, que garantem a absorção de impactos e não transmitem vibrações para as barras de aplicação. Isto resulta em melhor estabilidade, além de menores impactos no chassi, maior vida útil e conforto ao operador. ​

O Chassi do Defensor foi projetado para enfrentar as condições mais adversas em campo. Resistente e leve devido a sua estrutura tubular soldada, ele favorece a distribuição de peso e garante menor compactação do solo. Essa arquitetura permite ao Defensor atingir maiores velocidades com deslocamento suave e ter um excelente desempenho, mesmo com carga máxima.

Outro grande diferencial quando o assunto é resistência é o opcional do Peito de Aço, que protege a estrutura da máquina.

O Defensor oferece opções de barras de pulverização de 24 ou 27 metros.

Suas seções externas dobram-se para cima e têm funcionamento independente de ambos os lados. Sua estrutura treliçada, dividida em cinco seções, garante maior resistência.

A versatilidade dos porta-bicos de três saídas também é uma vantagem, pois permite ao operador variar as opções de aplicação, sem ter que substituir os bicos de pulverização.

Também pode ser equipado com 5 ou 9 sessões com desligamentos automáticos e controle de altura da barra, garantindo melhor qualidade no trabalho realizado.

Conclusão

O uso da adubação foliar na produção agrícola é uma importante alternativa que você tem para complementar ou corrigir deficiências nutricionais das plantas.

É muito importante que você seja acompanhado por um especialista em agronomia para dar as orientações corretas, tanto para o fertilizante que será utilizado quanto para o maquinário mais adequado.

Consulte um especialista da Agrobill e escolha o pulverizador ideal para sua lavoura.

Mário Bittencourt Mário Bittencourt
Jornalista, especializado no setor do agronegócio e pós-graduado em Agricultura de Precisão.
Publicado em .

Produtos recomendados

Leia também

Assine nossa Newsletter

Receba artigos, dicas e conteúdos de qualidade gratuitos sobre agronegócio e produtividade!

Siga a Agrobill nas redes sociais

 Instagram 

Deixe uma resposta