Mais

Conheça as melhores máquinas para aplicar corretivos de maneira eficiente

Com o avanço da agricultura de precisão, as máquinas para aplicar corretivos trabalham cada vez mais com objetividade, ao distribuir os insumos à taxa variável

Mário Bittencourt Mário Bittencourt
Compartilhar isto
Sem-Título-1

A aplicação de corretivos de solo (sendo o calcário agrícola o mais comum) e outros insumos está entre os maiores custos da produção agropecuária brasileira.

Por isso, é necessário que, na busca por uma gestão eficiente da fazenda, se utilize máquinas para aplicar corretivos (distribuidores de calcário) que proporcionem eficiência e redução dos gastos.

E uma das principais formas de fazer isto é por meio do uso de máquinas que possibilitam a aplicação à taxa variável de corretivos, por meio das técnicas de agricultura de precisão.

A escolha dessas máquinas, contudo, não deve ser algo isolado, pois a eficiência depende do conjunto tecnológico da propriedade rural e do conhecimento sobre a correta utilização dos equipamentos, conforme você verá neste artigo. Boa leitura!

Qual a finalidade de aplicar corretivos no solo?

O principal objetivo é corrigir a acidez para tornar o solo apto à produção agrícola, a partir do melhor aproveitamento dos nutrientes que a planta necessita para produzir bem.

Basicamente, a acidez ocorre por conta dos íons de hidrogênio livre (H+), gerados por componentes ácidos no solo: fertilizantes nitrogenados e ácidos orgânicos.

E a correção da acidez se dá com a neutralização do íon H+ por ânions OH- (hidróxidos).

A maioria dos solos brasileiros, principalmente no Cerrado, é considerada ácida, com níveis tóxicos de alumínio ou manganês, e baixos níveis de cálcio e magnésio.

Assim, quando é feita a correção do solo, com o uso de corretivos e a elevação da acidez, faz-se com que haja maior disponibilidade de nutrientes no solo ao mesmo tempo que se reduz a insolubilização de nutrientes considerados tóxicos para as plantas.

A eficácia na correção da acidez do solo, no entanto, depende de uma boa análise de solo e da correta aplicação dos corretivos, bem como da boa incorporação do insumo ao solo.

Assim, esse é um trabalho que deve ser feito em etapas, e que hoje em dia, com o auxílio das tecnologias de agricultura de precisão, podem ser feitas em menor tempo e com mais eficácia.

O ideal é que você produza mapas da variabilidade espacial, o que pode ser feito, por exemplo, com imagens de sensoriamento remoto das áreas de produção, coletadas por drones ou satélites, e que depois são interpretadas em softwares, como o QGIS.

Há diversos tipos de corretivos de solo no Brasil, sendo o mais utilizado deles o calcário. O uso de cada tipo de insumo atende a uma necessidade própria do solo.

Veja abaixo quais os principais tipos de corretivos utilizados no Brasil.

Tipos de corretivos agrícolas

Os corretivos agrícolas são materiais que possuem em sua composição carbonatos, óxidos, hidróxidos ou silicatos de cálcio e de magnésio como neutralizantes ou princípio ativo.

A utilização de cada tipo de corretivo e suas quantidades deve atender às recomendações agronômicas.

Calcário agrícola

É o corretivo agrícola mais comum no Brasil, sendo seus constituintes neutralizantes o carbonato de cálcio (CaCO3) e o carbonato de magnésio (MgCO3).

É obtido a partir da moagem de rocha calcária, cuja jazidas, em geral, são de origem orgânica, de natureza sedimentar ou metamórfica.

Existem três tipos de calcário e a diferença entre eles se dá por conta do teor de óxido de magnésio (MgO):

  • calcário dolomítico: possui mais de 12% de MgO;
  • calcário magnesiano: o teor de MgO varia entre 5% e 12%;
  • calcário calcítico: abaixo de 5% de MgO.

Cal virgem agrícola

Esse corretivo de solo apresenta-se como um pó fino que é obtido industrialmente por meio da calcinação ou queima completa do calcário.

É constituído de óxido de cálcio (CaO) e óxido de magnésio (MgO).

Cal hidratada agrícola ou cal extinta

É obtida de forma industrial a partir da hidratação da cal virgem, e tem ação neutralizante semelhante a esta.

A diferença é que a cal virgem se hidrata com água do solo, enquanto a hidratação da cal hidratada se dá na indústria.

Calcário calcinado

Também é obtido de forma industrial, só que a partir da calcinação parcial do calcário.

Na calcinação, ocorre a remoção de compostos voláteis, a oxidação de matéria orgânica, a melhoria da condutividade elétrica, além da alteração da estrutura cristalina e da produção de óxidos e da decomposição térmica para remoção de impurezas.

É um produto que se apresenta em forma de pó fino e é considerado intermediário entre o calcário e a cal virgem.

Escórias de siderurgia

São subprodutos da siderurgia do ferro e do aço, cujos constituintes neutralizantes são os silicatos de cálcio (CaSiO3) e de magnésio (MgSiO3).

Esse insumo apresenta o mesmo comportamento dos calcários e possui teores relativamente elevados de micronutrientes, mas praticamente não é utilizado na agricultura.

Além desses tipos de corretivos citados acima, existem ainda o margas (depósitos terrestres de CaCO3, os calcários marinhos (corais, sambaquis) e diversos subprodutos das indústrias, cuja ação neutralizante é semelhante a do carbonato de cálcio e dos calcários.

Máquinas para aplicação de corretivos

Tanto a escolha do corretivo quanto o tipo de máquina que será utilizada na aplicação na área de produção devem obedecer a critérios técnicos, para melhor atender ao seu objetivo.

A Agrobill oferece diversas máquinas para aplicar corretivos. Veja algumas delas:

Distribuidor de Calcário Master 12000 DH1

O maquinário vem com uma esteira precisa que garante maior vida útil, e é multifuncional: transporta qualquer tipo de material, mesmo que úmido.

Além disso, garante maior precisão e homogeneidade na distribuição do material.

Uma funcionalidade importante da esteira transportadora é que ela possui três opções de velocidade, que combinadas à regulagem da porta de vazão, oferecem precisão e ampla faixa de regulagem da dosagem.

O sistema de carenagem da esteira transportadora permite que o distribuidor trabalhe tanto como esteira de 80 cm (orgânico), como esteira de 40 cm (calcário e granulados).

Distribuidor de Calcário Master 5500 D

Esta máquina tem uma esteira transportadora com três opções de velocidade que, combinadas à regulagem da porta de vazão, oferecem precisão e ampla faixa de regulagem da dosagem.

O sistema de carenagem da esteira transportadora permite que o distribuidor trabalhe tanto como esteira de 80 cm (orgânico), como esteira de 40 cm (calcário e granulados).

Distribuidor de Calcário Master 10000 D

Apresenta como principal vantagem a possibilidade de transportar qualquer tipo de material, mesmo que úmido, o que é possível a partir da multifuncionalidade que a esteira precisa proporciona.

Ela garante maior precisão e homogeneidade na distribuição do insumo, além de possuir três opções de velocidade, o que favorece à maior precisão e ampla faixa de regulagem da dosagem.

O sistema de carenagem da esteira transportadora também permite que o distribuidor trabalhe tanto como esteira de 80 cm quanto de 40 cm.

Conclusão

A escolha de máquinas para aplicar corretivos de solo é uma etapa importante para a gestão da sua fazenda, sobretudo porque um serviço bem feito de aplicação de corretivos e outros insumos é o que vai garantir uma boa produção.

Neste sentido, você deve se basear sempre em critérios técnicos agronômicos para decidir qual maquinário precisa comprar e, sobretudo, o tipo de corretivo que irá utilizar, bem como a quantidade.

Dessa forma, você estará reduzindo riscos à sua produção agrícola e favorecendo também à redução de custos com a produção agrícola.

Mário Bittencourt Mário Bittencourt
Jornalista, especializado no setor do agronegócio e pós-graduado em Agricultura de Precisão.
Publicado em .

Produtos recomendados

Leia também

Assine nossa Newsletter

Receba artigos, dicas e conteúdos de qualidade gratuitos sobre agronegócio e produtividade!

Siga a Agrobill nas redes sociais

 Instagram 

Deixe uma resposta