Mais

Eficiência na aplicação de fertilizantes e defensivos na produção de soja

Os manejos nutricionais e de combate a pragas estão entre as etapas mais importantes da produção de soja, e para haver eficiência é preciso maquinário adequado

Mário Bittencourt Mário Bittencourt
Compartilhar isto
Pulverizador 1000 Litros Panter

Maior produtor mundial de soja, o Brasil deve colher 144 milhões de toneladas do grão na safra 2021/2022, segundo o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

Mas para que você tenha boa produção, é preciso eliminar qualquer problema que ofereça riscos para sua lavoura, a exemplo de pragas e doenças, bem como déficit nutricional.

De igual modo é importante que você tenha bons equipamentos e máquinas que possibilitem a aplicação eficiente de fertilizantes e produtos químicos.

Por isso, neste artigo eu trago algumas dicas de como realizar a aplicação eficiente de fertilizantes e defensivos na produção de soja. Acompanhe!

Como utilizar os fertilizantes e defensivos

Com a atual crise dos fertilizantes e adubos químicos, saber usar de forma mais eficiente esses produtos é essencial para reduzir os custos, sobretudo em época de dólar alto, como agora, já que a maioria dos fertilizantes e produtos químicos são importadas.

Na busca pela eficiência, a utilização desses produtos deve ser na quantidade que a lavoura precisa, para que o potencial produtivo da planta possa ser alcançado.

E isso vai depender de diversos fatores, como sua terra, clima e época do ano.

Uma das melhores formas é fazer com que os produtos possam ser seguros ao meio ambiente e eficazes para sua cultura.

É importante também estar atento aos ventos na hora da aplicação, pois a deriva é um dos problemas mais comuns nesse processo.

Veja algumas dicas abaixo que poderão otimizar seu trabalho:

  • Sempre procure pulverizadores que não sejam voláteis ou de baixa volatilidade, isto é, produtos que podem se tornar gasosos e fazer com que seu defensivo seja evaporado. Isso reduz a eficiência da aplicação
  • É aconselhável que você faça a pulverização com gotas maiores no início. Isso evita com que o defensivo não fique à deriva e saia da rota que foi estabelecida. A recomendação é que seja exposto em ângulos de 110º, no máximo de 50 cm de altura e com vento entre 3k/h à 10k/h (quilômetros por hora)
  • Outra recomendação é não pulverizar sem vento, por conta das ondas térmicas, elas ocasionam flutuações no produto que está sendo usado
  • Evite aplicações quando os ventos excederem os 10k/h, pois o seu produto pode atingir outras culturas ou se dispersar por conta da ventania
  • Sempre tenha calma nas pulverizações, quando feito com rapidez os problemas mencionados tendem a acontecerem com maior probabilidade

Defensivos para ervas-daninhas

O uso de herbicidas como defensivos para o combate de ervas daninhas em sua lavoura de soja também é importante.

Isso porque é comum durante algum tempo surgirem novos brotos indesejáveis ou sementes que chegam até sua plantação de diferentes formas.

É importante que você se atente a isso, pois a soja suporta, em média, 18 dias de ervas daninhas após a emergência e, em outros casos, apenas 7 dias.

Você também pode usar algumas tecnologias em suas mãos que te ajudarão a ter uma noção de como reconhecer e combater essas plantas não desejadas.

A eficiência contra as pragas

A utilização dos pulverizadores também é essencial para a contenção de pragas em sua lavoura de soja e se prevenir de grandes prejuízos.

É muito comum percevejos, lagartas e mosca branca nessa cultura e, quando não são precavidos, afetam toda a sua lavoura.

Uma das primeiras ações da soja em se defender dessas pragas é pelos seus próprios meios biológicos, mas para ela poder continuar viva é necessária uma boa formação desde o início.

Atenção com o manejo nutricional

No manejo nutricional da soja, utilizar a fertilização da forma correta é um fator crucial para essas primeiras fases de sua cultura.

Uma planta com déficits nutricionais está mais suscetível a ser atacada por essas pragas, já que ela apresenta poucas defesas.

Essa falta de nutrientes muda o sistema metabólico da soja e faz com que o estado de proteólise tenha predominância.

Assim, os parasitas encontram as substâncias em estado solúvel para o seu consumo, o que as atraem para a planta.

Quando não há esse déficit, a soja produz menos nutriente solúvel, o que gera menos possibilidade de ser atacada por essas pragas.

Além disso, a maioria delas pode ser evitada com uso de agentes químicos que matam ou evitam a proliferação dessas pragas, como pulverizar com os fosforados sistêmicos, inseticidas em geral a depender da praga, dentre outros.

Por isso, os cuidados contra as pragas e ervas daninhas mencionados antes são tão essenciais.

Cuidados com o uso de máquinas na aplicação

Na aplicação de produtos químicos com o uso de maquinários, o aplicador deve ser treinado e ter todo o conhecimento técnico para a execução do procedimento, além de usar os EPI ‘s (Equipamentos de Proteção Individual).

Com isso já definido, você precisa saber qual tipo de máquinas irá usar, para que não tenha problemas maiores e mantenha a vida útil do seu equipamento, isso depende do tamanho de sua produção.

A Agrobill possui diversas opções de pulverizadores para você utilizar e pessoal com capacitação técnica para te dar a melhor orientação, baseada em sua realidade.

Pulverizador 600 Litros BH Três Dobras com Barras de 16M Panter

Foto do Pulverizador 600 Litros BH Três Dobras com Barras de 16M, marca Panter

O uso das máquinas faz com que você tenha um controle dos produtos que estão sendo usados na sua produção de soja, sua distribuição em toda lavoura e a garantia que a pulverização esteja como o esperado.

Segundo os estudos recentes, a economia pode chegar a 30% para a agricultura que utiliza máquinas agrícolas.

As máquinas devem fazer com que todo o processo de defensivos e pulverizadores seja igual para todas as plantas. O erro disso pode afetar o desenvolvimento delas.

Bicos cônicos tendem a ter um resultado melhor para uma pulverização no terço médio e inferior da soja (terço superior segue o que já foi dito).

Neste caso, para atingir essas partes inferiores, é recomendado: volume da calda de 150 L/ha; velocidade de 10 km/h e pressão de 70 lbf/pol² (libra por polegada).

Outra opção é optar por produtos adjuvantes, eles são mais resistentes às condições físicas e têm mais chances de serem rentáveis. Na dúvida, consulte a bula do produto.

Além disso, a utilização de máquinas é um passo promissor para o agricultor que pretende adotar a agricultura de precisão.

Conclusão

Neste artigo você pode entender como a produção de soja pode ser um investimento agradável e evitar os eventuais problemas que são comuns para o produtor.

Além disso, percebeu que o uso de máquinas agrícolas são uma mão na roda para que o seu trabalho seja mais lucrativo e se livrar de pequenos erros durante os procedimentos.

Também é importante que você possa sempre contar com a opinião de um técnico dessa área, já que cada região tem suas particularidades físicas e biológicas para as aplicações.

Mário Bittencourt Mário Bittencourt
Jornalista, especializado no setor do agronegócio e pós-graduado em Agricultura de Precisão.
Publicado em .

Produtos recomendados

Leia também

Assine nossa Newsletter

Receba artigos, dicas e conteúdos de qualidade gratuitos sobre agronegócio e produtividade!

Siga a Agrobill nas redes sociais

 Instagram 

Deixe uma resposta