Mais

Lastragem de tratores agrícolas: saiba o que é e como fazer

Influenciada por diversos fatores, a lastragem de tratores agrícolas é um procedimento essencial para melhorar a eficiência do maquinário em campo

Mário Bittencourt Mário Bittencourt
Compartilhar isto
Como fazer a lastragem de tratores agrícolas

Dentre os ajustes para o melhor desempenho operacional no trator agrícola, a lastragem é um dos mais importantes de serem feitos, pois gera economia e aumenta a eficiência.

Contudo, mesmo sendo relativamente conhecida, a lastragem ainda é pouco realizada por boa parte dos produtores rurais, talvez por desconhecimento sobre seus benefícios.

As pesquisas apontam que a lastragem, quando realizada de forma correta, melhora de forma significativa a tração do trator agrícola e a redução do consumo de combustível.

Em tempos da busca por redução de gastos, devido a alta dos custos de produção, realizar a lastragem é uma boa opção para economizar. Veja neste artigo como fazê-la. Boa leitura!

O que é a lastragem de tratores agrícolas?

A lastragem é um tipo de calibragem do trator agrícola que deve ser realizada em função do peso do trator, da configuração do rodado, do implemento e do solo.

Com a lastragem, busca-se a massa ideal para as rodas motrizes do trator agrícola terem maior aderência ao solo. Assim, o lastro é a razão entre peso e potência do trator.

Se somente as rodas motrizes fornecem tração, é necessário distribuir o lastro adequadamente entre os eixos dianteiro e traseiro.

A massa entre os dois eixos do trator é afetada pelo tipo de tração (em duas ou quatro rodas) e pela forma como o implemento é acoplado (puxado, semi montado ou montado).

O objetivo da lastragem é aumentar a capacidade de tração e a estabilidade do trator e do implemento agrícola, o que colabora também para reduzir os riscos de tombamento.

O lastro adequado proporciona maior vida útil do pneu, bem como o melhor rendimento destes. Aumenta a tração, reduz a patinagem e o consumo de combustível.

Neste sentido, a lastragem, quando realizada de forma correta, melhora o rendimento operacional do maquinário agrícola como um todo, tornando as operações mais eficientes.

Do contrário, quando há excesso de lastro (ou desequilíbrio na razão entre o peso e a potência do trator), há redução do desempenho, maior consumo de combustível e desgaste das peças, acarretando em quebras constantes, atrasos nos serviços e aumento de gastos.

Tipos de lastragem de tratores agrícolas

Existem dois tipos de lastragem de tratores agrícolas: a líquida e a sólida.

As pesquisas acadêmicas orientam como fazer os dois tipos de lastragem e lembram que devem ser observadas também as recomendações do fabricante.

Como fazer a lastragem líquida

Na lastragem líquida, é colocada água pura ou com aditivos anticongelantes por meio das válvulas de calibragem dos pneus do trator, de modo a enchê-lo com 25%, 40%, 50%, 60% ou 75% do líquido.

Para isso, devem ser seguidos os procedimentos:

  • 25%: o bico do pneu deve ficar na parte inferior (rente ao solo);
  • 40%: o bico do pneu fica na posição inferior, formando um ângulo de 45º com o solo;
  • 50%: o bico do pneu fica na posição mediana;
  • 60%: posicionar o bico do pneu na parte superior, de modo a formar um ângulo de 45º com a superfície do solo;
  • 75%: o bico do pneu fica na parte superior.
Como fazer lastragem líquida do trator

Da esquerda para a direita: 75%; 60%; 50%; 40%; e 25% (Reprodução: Inic Epg/Univap)

A operação deve ser realizada com o auxílio de um macaco, e é preciso ter o cuidado de girar o pneu e posicioná-lo na altura referente ao percentual de enchimento, com a observação entre pneus radiais e diagonais.

Pneus radiais devem ser preenchidos 40% somente em casos especiais e com recomendação do fabricante.

Já nos pneus diagonais, devem ser observados o máximo de 75% do volume do pneu para não eliminar as propriedades de flexão e amortecimento.

Como fazer a lastragem sólida

A lastragem sólida, por sua vez, consiste em fixar discos metálicos de ferro fundido nas rodas traseiras ou montar placas metálicas na parte dianteira do trator, no chassi.

Ela é a mais indicada a ser feita, apesar de a líquida ser mais barata.

Os pesos para as rodas existem de diversos tamanhos, o que permite maior precisão na distribuição de peso do trator.

As placas de ferro fundido são colocadas na dianteira do trator, resultando na compensação de peso transferido para a parte traseira pelo uso do implemento, o que aumenta o rendimento da tração.

Exemplos de lastragem sólida de trator

Exemplos de lastragem sólida (Reprodução: Inic Epg/Univap)

Tratores com tração dianteira auxiliar (TDA) terão maior eficiência com o peso na parte frontal e os sem TDA terão maior dirigibilidade.

Em ambos os métodos, é preciso fazer um cálculo. Veja mais detalhes abaixo.

Como calcular o lastro do trator agrícola

Para fazer o cálculo do lastro, é preciso saber que a massa bruta total do trator com a quantidade de lastro correta é uma função do tipo de tração do trator, que pode ser:

  • tração nas duas rodas
  • assistência mecânica na roda dianteira
  • tração nas quatro rodas

E vai variar conforme a velocidade no deslocamento do trator.

A lastragem está ligada à patinagem dos pneus do trator. Por isso, é necessário observar as marcas de pneu deixadas no solo pelas rodas motrizes para avaliar se o lastro está correto.

O ideal é que o índice de patinagem fique entre 10 a 15% em tratores agrícolas 4×2 e 8 a 12% em tratores 4×4.

Marcas de pneus lastragem de trator agrícola

Da esquerda para a direita: patinagem excessiva; pouca patinagem; patinagem e quantidade de lastro ideal (Reprodução: Inic Epg/Univap)

Para determinar o lastreamento, comece com a quantidade mínima de peso para o trabalho e acrescente o lastreamento desejado para obter o rendimento desejado.

Os níveis de lastreamento se baseiam nas velocidades de avanço:

  • leve: 8,7 km/h
  • médio: 7,7 km/h
  • pesado: 7,2 km/h

Caso o esforço da tração a plena carga resulte na velocidade de 8,7 km/h ou mais, o trator pode trabalhar sem lastreamento.

No nível médio (plantio ou grade niveladora), o recomendável é entre 7,7 a 8,7 km/h para o trabalho a plena carga.

O lastreamento pesado deve ser usado somente em implementos que requerem tração a plena carga, com menos de 7,2 km/h, a exemplo de subsoladores profundos.

Peso e potência na lastragem do trator agrícola

Diversas variáveis interferem na força potencial do trator. São elas:

  • a carga sobre as rodas motrizes: peso do trator + peso do implemento + lastro + regulagens de acoplamento
  • natureza do contato pneu-solo
  • área de contato com o solo
  • pressão dos pneus
  • formas e dimensões do rastro
  • textura e condição física do solo

A força de tração não pode exceder 60% do peso total do trator somado à carga complementar. A relação entre a força e o peso, dada por kg/kW, é calculada com base na potência nominal do motor.

Assim, quanto maior a força de tração, mais significativa será a necessidade de lastro.

Mas para conservar o sistema mecânico de transmissão, a relação peso/potência para operações com menor velocidade e maior demanda de tração pode ser de 60 kg/kW.

E com menor demanda de tração e maior velocidade, de 35 kg/KW.

Conclusão

A lastragem de tratores agrícolas está relacionada diretamente com a gestão eficiente da propriedade rural, tendo em vista que ela proporciona economia de custos e melhoria nas operações com o trator.

É importante ter cuidado com os métodos de lastragem para que eles sejam feitos da forma correta e que mais se adequa ao seu maquinário e pneus.

Na dúvida, consulte um especialista em pneus da Agrobill para ter a orientação correta.

Mário Bittencourt Mário Bittencourt
Jornalista, especializado no setor do agronegócio e pós-graduado em Agricultura de Precisão.
Publicado em .

Produtos recomendados

Leia também

Assine nossa Newsletter

Receba artigos, dicas e conteúdos de qualidade gratuitos sobre agronegócio e produtividade!

Siga a Agrobill nas redes sociais

 Instagram 

1 comentário

  1. PAULO DECIO DAMASCENO em 24 de abril de 2022 às 07:28

    Muito interessante.E necessário.

Deixe uma resposta