Mais

Saiba a importância de escolher uma boa máquina para o corte de silagem

A escolha da máquina para o corte de silagem é essencial para a gestão agrícola, pois ela pode garantir maior produtividade e qualidade do material que será ensilado

Mário Bittencourt Mário Bittencourt
Compartilhar isto
Sem-Título-1

A produção de silagem na pecuária intensiva tem se intensificado a cada ano, assim como a diversidade de máquinas disponíveis no mercado para realização do corte do material.

Diversos fatores influenciam na escolha da máquina de corte para silagem, sendo os principais o tipo de cultura, solo, clima, relevo e área a ser colhida.

Mas é importante destacar que não adianta um bom corte se não forem realizados os manejos nutricionais do solo e da planta, bem como a armazenagem correta do material.

Neste artigo, vou te mostrar algumas importantes opções de máquinas para o corte de silagem. Com certeza, uma delas vai te atender. Acompanhe!

A importância da silagem para a pecuária

Ao longo dos anos, você tem visto ocorrer diversos fenômenos naturais, a exemplo de queimadas, estiagem prolongada, geadas e excesso de chuvas.

Tais fenômenos castigam a paisagem natural e reduzem a quantidade de alimento disponível para os animais no pasto, o que afeta o seu desenvolvimento e produção.

Por isso, entidades públicas e privadas realizam ano a ano experimentos para pôr no mercado culturas forrageiras de alto rendimento, voltadas para produção de silagem, com maior teor de matéria seca (MS) e colheita precoce.

Basicamente, a silagem consiste na conservação do alimento dos animais em processo anaeróbio (sem presença de oxigênio), e a eficiência da conservação depende do teor de matéria seca, da concentração de carboidratos solúveis e do baixo poder tampão.

A produção de silagem no Brasil é feita a partir de diversas culturas forrageiras: milho, sorgo, cana-de-açúcar e capins Brachiaria brizantha cv. (Marandu) e o Panicum maximum cv. (Mombaça).

Veja quanto elas podem render por hectare:

Estimativa de produtividade por cultura

Estimativa de produtividade por cultura (Fonte: Revista AG)

Na maioria das fazendas, sobretudo na primeira safra (final e início de ano), a forrageira mais utilizada é o milho, de elevado teor nutricional e produção mais simples.

No Brasil, a área cultivada com silagem é de 2,25 milhões de hectares, sendo que somente com o milho varia entre 800 mil a 1,2 milhão de hectares.

Uma influência importante no destaque para a produção do milho para silagem é que a maioria das máquinas e implementos de colheita é desenvolvida para essa cultura, o que beneficia também o sorgo.

Assim, antes de decidir o que plantar, você deve verificar a disponibilidade dos maquinários e implementos no mercado, e observar ainda se a cultura escolhida se desenvolve bem na sua região.

Tipos de colhedora para silagem

Existem vários tipos de colhedora de silagem disponíveis no mercado. Cada uma delas se diferencia conforme a quantidade de linhas, se é do tipo plataforma ou autopropelido.

A escolha delas deve ser feita com base em critérios técnicos, como o período da colheita, a qualidade do material a ser ensilado e a produtividade.

Veja o rendimento de algumas delas:

Variação do volume de colheita conforme maquinário

Variação do volume de colheita conforme maquinário (Fonte: Revista AG)

Importante observar que o rendimento de cada uma delas no campo pode ter redução de entre 30% a 40% do indicado pelo fabricante.

Capacidade de manobra, características do relevo, produtividade da lavoura, manutenção e equipamentos devem ser levados em conta também.

Abaixo, listamos alguns dos principais modelos de máquinas para colheita de silagem utilizados no mercado, fabricados pela JF e disponíveis para pronta entrega na Agrobill.

Veja qual deles se adequa a sua necessidade.

JF 3200 AT S2

Esse modelo de máquina realiza o trabalho independente de linha ou direção. O sistema consorciado e sua dimensão permitem fácil acesso às áreas de plantio.

É de fácil manutenção, devido ao sistema de desacople da plataforma, abertura da carcaça e movimentação do tubo elevador.

O sistema de corte de 15 facas em cada rotor faz com que a máquina tenha diversidade de tamanhos de picado, o que atende às necessidades dos profissionais do setor.

Uma novidade da JF 3200 AT S2 é o novo Sistema de Processamento de Grãos+PRO, que rompe o grão e potencializa o valor nutricional da silagem.

JF 2000 Double Frontal

Tem largura máxima de colheita de 2 metros, possui bica alongada e quebra jato duplo que melhora o direcionamento no lançamento do material picado.

Possui um braço específico direto no chassi para acoplamento na frente do trator, o que facilita a abertura de carreador e a colheita em bordas, bem como o transporte do equipamento.

O novo Sistema de Processamento de Grãos+PRO está incluso.

JF 1600 AT S3

Esse maquinário tem dois limpadores por rotor para limpeza da parte traseira da carcaça, o que elimina o material acumulado e potencializa o lançamento do produto, além de manter a eficiência durante toda a vida útil do equipamento.

Seu inovador braço pantográfico de acoplamento com articulação total foi desenvolvido para trabalhar em curvas de nível ou terreno acidentado, o que é uma grande vantagem.

Vem acompanhada do novo Sistema de Processamento de Grãos+PRO.

JF C120 S3

É a colhedora de forragem nº 1 do mundo e a mais produtiva e confiável do mercado.

Seu sistema de precisão garante inigualável uniformidade de cortes perfeitos, garantindo os melhores resultados no processo de ensilagem, deixando a forragem homogênea, como melhor compactação no silo e conservando inalteradas suas qualidades nutricionais.

Disponíveis nos modelos Caixa/Cardan e Correia/Polia, na versão hidráulica. Além do novo Sistema de Processamento de Grãos +PRO, tem a nova plataforma articulável.

Conclusão

Você viu neste artigo que a escolha da máquina para o corte de silagem é de grande importância para os ganhos de produtividade e qualidade do material a ser ensilado.

Importante ficar atento ao fato de que o maquinário, por mais adequado que seja à sua situação, não vai favorecer a uma boa produção se você não realizar os manejos adequados da produção antes e o correto armazenamento da silagem.

Da mesma forma, é necessário que você consulte sempre um especialista que te dê a melhor orientação sobre qual forrageira utilizar e o maquinário a ser adquirido.

Mário Bittencourt Mário Bittencourt
Jornalista, especializado no setor do agronegócio e pós-graduado em Agricultura de Precisão.
Publicado em .

Produtos recomendados

Leia também

Assine nossa Newsletter

Receba artigos, dicas e conteúdos de qualidade gratuitos sobre agronegócio e produtividade!

Siga a Agrobill nas redes sociais

 Instagram 

Deixe uma resposta